Toda solução de recuperação de desastres (DR) deve ser confiável, rápida e econômica. Estes são os requisitos básicos para todas as organizações, públicas ou privadas, independentemente de seu tamanho ou segmento.

Porém, apesar de sua importância para o sucesso do negócio, o investimento para ter uma infraestrutura que possa garantir a alta disponibilidade dificilmente está na lista de prioridades dos gerentes de TI, principalmente em pequenas e médias empresas.

Um cenário um pouco diferente é aplicado para empresas em mercados altamente regulamentados, a exemplo dos serviços financeiros. Elas investem pesadamente na recuperação de desastres e na continuidade dos negócios, até porque são obrigadas a fazê-lo.

Recuperação de desastres para um orçamento de PME

processadores escaláveis intel xeon

É muito comum que empresas menores não tenham um orçamento dedicado para DR. Elas normalmente optam por não pagar por isso, esperando que possam enfrentar qualquer incidente com backups e trabalho duro. 

Infelizmente, esse é um erro que pode comprometer a existência do negócio.

Para entendermos melhor esse cenário, na Pesquisa Global de Centro de Dados de 2018, do Uptime Institute, constatou-se que 31% das empresas sofreram períodos de inatividade que causaram danos graves, mas que 80% dos incidentes poderiam ter sido evitados.

Além disso, o backup convencional e a recuperação de desastres há muito tempo significam salvar dados em fita ou outra mídia removível e armazená-los fora do local. Em caso de desastre, a empresa precisaria adquirir novo hardware e restaurar dados e aplicativos.

Porém, com o avanço da tecnologia, a recuperação de desastres está se tornando mais barata, simples e eficaz, através do crescimento de serviços baseados em nuvem.

As empresas não precisam mais investir em hardware dedicado ou duplicado, data centers remotos e equipe qualificada para mantê-los. As tecnologias de nuvem ou nuvem híbrida permitem que empresas menores terceirizem grande parte do lado técnico da provisão de recuperação de desastres e migrem para um modelo sob demanda.

A operação de DR em um modelo de pagamento conforme o uso, combinada com transferências mais rápidas de dados pela Internet pública, está transformando as opções de DR para PMEs.

Por outro lado, as empresas maiores ou com melhores recursos, ou ainda, aquelas que dependem muito de seus dados, investem na replicação automática de dados externos e até em servidores em espera. Outros contratam fornecedores especializados para gerenciar a DR.

DR online, SaaS e HCI

O mercado de recuperação de desastres está crescendo, assim como a escolha de fornecedores. As empresas atualmente oferecem opções para os negócios que precisam de uma solução pronta para uso.

A disponibilidade dos serviços em nuvem é uma maneira do backup se tornar mais fácil para as PMEs. Mas se eles não podem ou não querem usar a nuvem, também há a opção de dispositivo, físico ou virtual.

A infraestrutura Hiperconvergente (HCI) surgiu como uma maneira de facilitar a implantação de máquinas virtuais. Mas como os sistemas hiperconvergentes geralmente incluem seu próprio armazenamento, eles também se prestam à recuperação de desastres.

Sua empresa pode escolher ainda uma estrutura híbrida. Com uso do software de replicação é possível escolher uma plataforma na nuvem, mantendo os recursos mínimos nesse ambiente, e ter os recursos estratégicos em estrutura local disponíveis para aumentar o quanto for necessário ao “chamar uma recuperação de desastres”.

Planejamento e testes fazem com que a estratégia de recuperação de desastres funcione

Nenhuma quantidade de tecnologia, no entanto, protegerá uma empresa de falhas. Isso significa ter um plano de recuperação de desastres, um regime robusto de testes e um plano para lidar com fatores humanos, desde a disponibilidade de especialistas técnicos até a capacidade da gerência sênior de agir sob pressão.

O principal ponto a considerar aqui é a facilidade de uso na configuração da replicação e, em seguida, como a capacidade de recuperação de desastres pode ser testada e verificada, operando e se adequando à sua finalidade.

A área em que a maioria das empresas falham está no processo de invocação do plano de recuperação de desastres. Você deve ter um processo robusto que tenha regras claras sobre quando uma mudança para DR é necessária e quando não é.

O requisito absolutamente essencial para a recuperação de desastres é garantir que você possa se recuperar. 

Teste com a frequência suficiente para garantir não apenas que seu processo de backup seja confiável, mas que você possa reconstruir um sistema em funcionamento dentro do objetivo de tempo de recuperação especificado e do ponto de recuperação.

O futuro de sua organização passa pela recuperação de desastres. Entre em contato com os especialistas da MW Microware e saiba como garantir a alta disponibilidade de sua empresa.

Sobre a MW Microware

Com mais de 3 décadas de experiência, a MW Microware tem ajudado seus clientes dos mais diversos segmentos a superarem seus desafios tecnológicos através de suas competências de consultoria, implantação e gerenciamento de TI, soluções de segurança, cloud e SaaS. Somos um dos principais provedores de soluções de equipamentos do mercado nacional.